Seguidores

Pesquisar neste blog

Meus blogs :

domingo, 27 de março de 2011

Livros Ciganos;

  
ESCRITO PELA AUTORA ANDREIA CARRE, ESTE LIVRO CONTA AGRANDE HISTÓRIA DE AMOR DE CARMENCITA E ANDRÉS, DOIS JOVENS CIGANOS QUE PRECISAM ULTRAPASSAR MUITOS OBSTÁCULOS PARA FINALMENTE PODEREM ESTAR UNIDOS POR TODA A ETERNIDADE. UM LIVRO CHEIO DE AVENTURA E ROMANCE.

Autor (es) :   Valéria Lopes 

Descrição:

Amor Cigano conta a história de Andorra e Madelon, almas gêmeas separadas pelo preconceito e que retornam para viverem aquilo que lhes foi negado outrora. 

Sinopse:

Este é mais um belo trabalho de Valéria Lopes, a mesma autora do maravilhoso romance espírita Entre o Amor e o Ódio publicado também pela Madras Espírita.

Amor Cigano conta a história de Andorra e Madelon, almas gêmeas separadas pelo preconceito e que retornam para viverem aquilo que lhes foi negado outrora.
Esta é uma obra repleta de magia e de mistérios que fará com que você, leitor, perceba que neste mundo nunca estamos sozinhos, pois sempre podemos contar com a proteção de nossos amigos espirituais e que, se acreditarmos que somos parte importante na vida espiritual do imenso Universo, alcançará em nossas almas a luz que tanto precisamos para o nosso equilíbrio, e esta luz, que é a chama da fé, engrandecerá nosso espírito, dando-nos forças para superarmos todos os infortúnios que precisamos passar na matéria para que possamos assim realizar o verdadeiro propósito desta vida: a evolução espiritual, a justiça e a perfeição.


Magia Cigana - Autora : Eddie Van Feu.


Ciganos do Passado , espíritos do presente - Autora :Ana da Cigana Natasha.



Autor : Evandro Mendonça
Ciganos - Magias do Passado de Volta ao Presente 

Na Magia, como em todo preceito espiritual e ritual cigano, para que cada um de nós tenha um bom êxito e consiga o que deseja, é fundamental que tenhamos fé, confiança e convicção. E, naturalmente, confiança nas forças que o executam. Para isso é fundamental que acreditemos nas possibilidades das coisas que queremos executar. 





Autor (es) :   Rosaly Mariza Schepis

Descrição:

Um livro rico, bonito e variado como é a própria vida dos ciganos. Conheça os filhos mágicos da natureza e veja o quanto podemos aprender com o modo de ser e de viver dos ciganos. Quiromancia, cartomancia e outros rituais. 

Sinopse:

Este livro é o mais completo estudo sobre os ciganos que o leitor brasileiro tem à sua disposição, na atualidade. Escritora e pesquisadora experiente, a autora faz um estudo geral dos costumes, tradições, hábitos e práticas dos ciganos. Estuda suas origens históricas, o idioma que eles falam seus movimentos migratórios. Depois, apresenta-nos o cotidiano das famílias ciganas. Fala das relações familiares, da hierarquia familiar, das relações entre as famílias, da organização das comunidades. Ficamos conhecendo os hábitos religiosos, as crenças dos ciganos, como se alimentam, como organizam seus acampamentos, suas festas. Muitas injustiças e idéias falsas que desde crianças ouvimos sobre os ciganos são dissipadas com rigor e clareza por Rosaly Mariza Schepis, neste estudo que aborda também a questão da adivinhação, da leitura das mãos e das cartas, das rezas e receitas. Enfim, se você quer se informar mesmo sobre os ciganos leia este livro. Ele é rico, colorido, variado e bonito como é a própria vida dos ciganos. Conheça os filhos mágicos da natureza, e veja quanto podemos aprender com o modo de ser e de viver dos ciganos.
 



Autor (es) :    Nelson Pires Filho

Descrição:

Ao contrário do que muitos pensam, os ciganos, apesar de viverem em acampamentos que são verdadeiras cidades e de formarem sociedades próprias, independentes do resto do mundo, não são simples andarilhos. Eles possuem uma história de vida, bandeira, idioma próprio (romanês) e carregam consigo uma gama de costumes e tradições, que são descritos com riqueza de detalhes nesta obra. 

Sinopse:

Ao contrário do que muitos pensam, os ciganos, apesar de viverem em acampamentos que são verdadeiras cidades e de formarem sociedades próprias, independentes do resto do mundo, não são simples andarilhos. Eles possuem uma história de vida, bandeira, idioma próprio (romanês) e carregam consigo uma gama de costumes e tradições, que são descritos com riqueza de detalhes nesta obra.

A tarefa de falar a respeito desse povo (Rom) sem fronteiras requereu grande responsabilidade do autor, que realizou diversas pesquisas, originando este belo trabalho. Aqui, você conhecerá desde a origem milenar dos ciganos até o modo de vida que eles levam hoje, espalhados por todas as partes do mundo, e adaptando-se, muitas vezes, a alguns costumes e religiões de cada região, bem como alguns dos grandes momentos difíceis pelos quais passaram ao longo de sua história.
Seja bem-vindo ao mundo encantado dos ciganos e saboreie a história de vida alegre e festeira desse povo, que foi vítima de preconceitos injustos e sem fundamento. 


 Autor (es) :   | Solange Magrin Ruiz | Marcelo Ruiz |

Descrição:

Os ciganos são conhecidos como filhos da natureza; como eles mesmos dizem, seu teto é o céu, sua luz são as estrelas e a sua religião é a liberdade. Crêem em Deus (Dhiel) e são devotos de Santa Sara Kali. Dom Fernando e Isabelita, quando viviam no acampamento cigano do clã ao qual pertenciam no mundo material, realizava curas utilizando banhos, chás, cristais, encantamentos, rituais, tônicos, ungüentos e elixires. Hoje, eles estão no plano espiritual e transmitem seus conhecimentos ao casal Solange e Marcelo Ruiz, que reuniram nesta obra os ensinamentos dos Clãs Ciganos de Luz no Astral. O leitor conhecerá um pouco mais sobre a cultura do povo cigano e verá como é a atuação, na Espiritualidade, dos Clãs das Ciganas do Amor, dos Ciganos Dourados, das Ciganas e dos Ciganos Encantados, das Ciganas da Sorte, dos Ciganos Guardiões, dos Beduínos e dos Tuaregues, dos Ciganos Andarilhos e dos Ciganos da Cura, com seus elementos mágicos e curativos, seus rituais, conjuros e orações. 

Sinopse:

Marcelo Ruiz e Solange Magrin Ruiz são zíngaros da família Salaroli. Esse casal tem se dedicado intensamente em trazer à tona os conhecimentos do Povo Cigano e, principalmente, a Espiritualidade cigana. Eles são fundadores do Espaço Cultural Tsara Gitana, situado em São Paulo, um local total-mente voltado para a difusão da cultura, da tradição e da espiritualidade cigana, por meio de atendimentos, cursos e terapias. Os autores possuem vários livros publicados sobre a cultura, a tradição, os costumes e a espiritualidade cigana. São apresentadores do programa de rádio Portal Cigano e diretores do jornal Cantinho Esotérico. São autores dos artigos origem do Povo Cigano e Talismãs e Amuletos (29/11/2007). Solange e Marcelo também são propaga-dores de uma nova doutrina que está ajudando cada vez mais pessoas em todos os setores de suas vidas, como a prosperidade, o amor, a saúde, a proteção e o direciona-mento; e, principalmente, o casal fortalece nas pessoas a fé, em nome de Santa Sara Kali, a única santa cigana do mundo, que conta com muitos devotos.
 


Como Descobrir e Cuidar dos Ciganos dos seus Caminhos


Ensina como descobrir o seu espírito cigano protetor e orienta na preparação de oferendas, combinando cores, aromas e objetos.



O SEGUNDO LIVRO DA SÉRIE HISTÓRIA CIGANAS DA AUTORA ANDREIA CARRE, "EM NOME DA HONRA - WLADIMIR" CONTA A HISTÓRIA DE UM VALENTE CIGANO QUE APÓS MUITAS DECEPÇÕES SE ENTREGAR A LUTAR PELO SEU POVO SE TORNANDO UM DOS MAIORES LIDERES CIGANOS JÁ CONHECIDOS.


Autores :Alberto Marsicano  / Lurdes de Campos Vieira   


Livro - Linha do Oriente na Umbanda, A
Esta obra preenche uma lacuna existente até o momento, pois discorre a respeito da Linha do Oriente na Umbanda, cujos horizontes são muito mais amplos do que se possa imaginar. Esse Oriente não se refere ao espaço geográfico, mas ao Oriente de Luz, ou Círculo Luminoso do Grande Oriente que se encontra no plano astral. A Linha do Oriente comporta, além dos chamados orientais, as correntes dos celtas, romanos, xamãs, maias, egípcios antigos, entre outras. A Linha do Oriente, ou dos Mestres do Oriente, é parte da herança da Umbanda, com elementos de um passado comum, berço de todas as magias e alicerce básico das religiões. Ela abrigou as diversas entidades que não se encaixavam nas matrizes indígena, portuguesa e africana, formadoras do povo brasileiro, mas que mantiveram grande afinidade com os conceitos religiosos de suas encarnações e foram preparadas para atuar como guias luminosos. Os falangeiros da Linha do Oriente têm como símbolo o Sol, que é também um dos símbolos de Oxalá, que surge no Leste ou Oriente, e são grandes mestres do Ocultismo.
Livro - Mistérios Do Povo Cigano

A partir da narrativa das autoras, representantes legítimas da comunidade cigana, o livro apresenta a trajetória das tribos ciganas de origem européia estabelecidas no Brasil. Orações, oferendas e outras práticas mágicas oferecem um quadro nítido das crenças e dos ritos ciganos isento de distorções.


Por muito tempo, os ciganos mantiveram-se inacessíveis aos gadje (os não-ciganos). Motivos tinham-nos de sobra para se portarem desta maneira. Afinal, foram séculos de perseguição, tortura, matança e difamação. Assim, famílias ciganas criaram rígidos códigos, cuja intenção era evitar o contato com o gadjo: quem descumprisse a regra era considerado impuro passível inclusive de banimento do grupo. Os tempos são outros e a necessidade de se adequar às novas exigências do mercado, de fixar moradia, de entregar à escola a instrução dos filhos, de participar da vida política de um país (talvez bem distante de sua pátria original), tudo isso promoveu a aproximação dos ciganos com os gadje. Assim, o livro que se entrega ao público ( resultado da pesquisa em uma das maiores comunidades ciganas Calon do país ) destaca-se, em especial, por três aspectos: pela abalizada explanação acerca da origem e dispersão do "povo errante", até sua chegada às terras brasileiras; pelo inventário de palavras calon coletadas, algumas em primeira mão, e pela iniciativa de analisar fenômenos lingüísticos à luz dos princípios ecológicos, como preconiza o novo campo de investigação denominado Ecolingüística. 


Autor (es) :   Alberto Marsicano  | Lurdes de Campos Vieira

Descrição:


Assim como ocorre nas demais linhas, legiões e falanges que atuam na Umbanda, também os espíritos ciganos estão a serviço do mundo astral, sustentados por seus hierarquias, que são espíritos antigos e evoluídos de seu povo. Essa linha ou corrente cigana é ampliada com o acolhimento de espíritos ciganos ou de espíritos não ciganos, mas que possuem afinidade com esse povo e são merecedores de trabalhar no contexto espiritual. Embora não tenham tido seu alicerce espiritual na Umbanda, são detentores de uma riquíssima tradição magística, conhecem os mistérios da Mãe Natureza e manifestam-se na incorporação há bastante tempo, em rituais próprios. Eles sempre reverenciam e atendem aos Sagrados Orixás. Conheça a tradição cigana e a atuação desse povo na Umbanda, que vem para trabalhar, com seus cantos alegres, danças e rituais mágicos, em uma belíssima missão de luz e caridade. 




Samanta ,a cigana 

Psicografado por João Berbel .

sábado, 26 de março de 2011

Livro A Colônia de Maria;


Neste livro Maria Madalena mostra-nos um pouco da Colônia de Maria Padilha e como são realizados os trabalhos destas mulheres conhecidas como Pomba Giras - mulheres sofridas guerreiras e que pagam um preço muito alto por amar demais.

 Esta obra veio para quebrar todo tipo de preconceito e visão errônia que estas mulheres sofrem... Queria eu poder um dia caminhar ao lado de Maria Padilha em seu lindo jardim de rosas vermelhas, e sentir o tamanho do amor que esta Pomba Gira carrega em seu peito e transmite às mulheres que são acolhidas em sua Colônia sem qualquer tipo de julgamento. 

Quisera eu fazer parte desta maravilhosa Colônia onde a doutrinação, amor e o caminho para a evolução através da lei é a linda bandeira que estas mulheres mais prezam.

 Abra seu coração e assim este maravilhoso portal se abrirá, deixando que você conheça um pouquinho deste mundo através dos olhos de Maria Madalena.

Psicografado por Elaine Paceli;

Pelo espírito Maria Madalena;

Editora : Atlante .

sexta-feira, 25 de março de 2011

Origem do Povo Gitano - Cigana do Pandeiro;


Num reino da Idade Antiga havia uma jovem chamada Márcia, que curava as pessoas doentes através de seus poderes paranormais e de fórmulas mágicas. Por isto o povo apelidou a moça de bruxa.


Um certo dia, o príncipe Felipe ficou muito doente. Então o rei mandou chamar Márcia. Esta garota ao colocar os olhos em Felipe se apaixonou por ele e tirou sua enfermidade através de feitiços.


Uma semana depois o príncipe casou-se com sua amada Amanda. Assim, Márcia ficou enfurecida e jogou uma praga:

- A partir da data deste matrimônio, nesta vila não haverá mais Sol e muito menos arco-íris. Aqui só existirão chuvas e tempo nublado para todo o sempre.



Desta maneira o tempo fechou e permaneceu assim por muitos anos.


Um belo dia, uma caravana de ciganos aproximou-se daquele reino e montou acampamento lá. Logo estranharam o mau tempo, mas pensaram que se tratava de uma chuva passageira. Naquela mesma tarde eles desfilaram pelas ruas da vila trazendo muita alegria, dança, canto e harmonia.


 O príncipe, que olhava tudo pela janela, convidou os ciganos para se apresentarem no castelo. Desta maneira, estes artistas deram um espetáculo no palácio durante a noite. Após o show, a cigana chamada Sol aproximou-se da princesa Amanda e comentou:

- Seu reino é muito bonito, pena que este clima nublado parece ser eterno.




 Então a nobre comentou:

- O problema é que este clima é, realmente, eterno por causa de uma praga que uma feiticeira lançou. Diz a lenda que só uma mulher estrangeira e virgem pode libertar a nossa terra das tempestades eternas se ela tocar um instrumento mágico feito de um animal que é manso de dia mas que, nas Luas Cheias, pode ser feroz.



Ao escutar isto, Sol tentou tocar todos os instrumentos que o seu povo tinha: violino, gaita, lira e tambor. Porém nada fez efeito.

Assim, a moça se despediu dos nobres e voltou ao seu acampamento. Então ela orou:
- Santa Sara, por favor, me dê uma luz!



 Naquele momento Michel, o avó de Sol, estava sentado numa banqueta em frente à tenda. Quando, de repente, uma cabra saiu correndo em direção ao idoso.


A jovem cigana, ao perceber isto, pegou uma lança que estava ao seu lado e lançou em direção ao animal furioso, que morreu na hora. Ao se aproximar do bicho morto, ela achou um aro de metal caído no chão. Naquele instante a moça teve uma idéia:


- Farei um instrumento musical com o couro desta cabra, com este aro de metal e com as platinelas que estão na minha tenda.


Esta jovem passou a madrugada inteira fazendo um pandeiro com o material achado. Deste jeito, quando chegou às dez da manhã, o instrumento já estava pronto e ela resolveu tocá-lo no meio da tempestade.


De repente, a chuva parou, o Sol se abriu e um enorme arco-íris surgiu no céu. Alguns minutos depois as cores do arco-íris vieram em direção ao seu pandeiro e viraram fitas dentro dos buracos deste instrumento.


A princesa Amanda e o príncipe Felipe, que viram tudo pela janela, ficaram tão contentes com o fato que presentearam os ciganos com um baú cheio de tesouros.


Assim surgiu a lenda da Cigana do Pandeiro.

Autora :Luciana do Rocio Mallon


Pontos Cantados da Cigana do Pandeiro:

Oi Cigana, vai buscar o meu amor que foi embora
A Cigana do Pandeiro vai,
a Cigana do Pandeiro vem,
a Cigana do Pandeiro balança e o pandeiro não cai



A Cigana do Pandeiro,
 Vem chegando
, vem sorrindo
, Vem trazendo a saúde
, Pros filhos que estão caindo.
 Ela vem na tempestade,
 Vem junto com o temporal,
 Vem sambando,
 vem dançando,
 Levando todo o mal.



 Quadro de Maria do Carmo da Hora. 



Pandeiros meia Lua,também apreciados pelas ciganas na Umbanda.


Imagem nº13 Pintura de Agnes do Santo.


Outras Imagens retiradas da Internet!

Origem do Povo Gitano - Cigana Carmen;


É uma cigana encantadora que gosta de festa, música, dança e muitos sorrisos.


Trabalha juntamente com todas as forças da natureza, principalmente as do fogo, pois atua com as Salamandras.


Utiliza estrelas de cinco e seis pontas que representam respectivamente a magia e o amor.


Também utiliza a simbologia de uma espiral que é uma forma da antiga escrita voltada para a magia, cura espiritual e física, e a promessa de proteção contínua para a médium e os que a rodeiam.

 Há muito tempo não reencarna aqui, mas também faz parte da grande missão de outros seres terrenos e de diversos tipos de entidades.

Tomou a identidade de cigana por ter sido a última em que passou por aqui, e foi preciso haver uma adaptação dela para chegar mais próxima das pessoas deste mundo, e assim atingir mais as massas, podendo assim se expressar e atender aos pedidos das pessoas, trabalhando com os seus sentimentos.


Seu trabalho é feito da seguinte forma: desperta nas pessoas o poder que elas mesmas possuem em realizar coisas boas.

A entidade é uma mensageira de amor, e uma representante do elo de ligações entre tantos mundos.




 Nada mais faz do que pedidos a entidades superiores, a respeito dos suplícios dos consulentes, e estes recebem a graça pelo seu próprio merecimento.

O seu trabalho mais importante é o despertar das pessoas para a espiritualidade e para a humildade, que para ela, caminham juntas.


 Por isso escolheu a Umbanda, e em especial este templo, onde isto é tratado com bastante cuidado e responsabilidade.

A Espiritualidade uniu estas pessoas propositadamente, é claro também, tantos outros grupos espalhados por todo o planeta.



Quando passou por aqui foi uma Ciganinha bastante bem humorada, e desde cedo foi iniciada em magia por uma cigana mais velha.
Chamavam-na de feiticeira da tribo. Fez muitas coisas boas, e coisas ruins também, pois trabalhavam com a cura e com interesses próprios, tais como o ouro.



 Desencarnou ainda jovem; não se casou, porém já estava prometida a um cigano bem mais velho.
Se revoltou com isto, pois havia se apaixonado por um homem de fora da tribo, e com isto a deixaram de lado por um bom tempo.

Deveria casar-se aos 14 anos, mas tinha que esperar o tal cigano passar por alguns rituais. Foi aí que aproveitou. Mesmo sendo deixada de lado, vivia sempre feliz e sorridente e encontrava-se com o tal homem de uma tribo bastante diferente da dela.



Começou a aprender com ele a magia dos índios e da natureza, e quando sua tribo descobriu, fizeram uma grande festa para ela.


Convidaram toda a tribo indígena e o seu futuro marido matou os dois no meio de toda a tribo, amarrados a uma árvore, com o seu punhal em seus corações.


Foi escolhida esta morte para servir de exemplo a outras ciganas. Mas, desencarnou feliz ao lado da pessoa que amava e com sua personalidade fortalecida.



Material de Trabalho: Bola de Cristal, Pêndulos, muitas pedras, incensos, velas coloridas, entre outros.


Locais de Entrega: Em campos embaixo de uma árvore.


Bebe: Vinho tinto

Fuma: Cigarros de preferência os que contém cravo.



Outros Textos sobre a Cigana Carmen;


A Cigana Carmem é natural da Espanha e inspirou vários amores pelas terras que visitou.

Além de ser uma exímia dançarina de flamenco, é complacente com todos os corações feridos e apaixonados.

Faz tudo que está a seu alcance para acolher e consolar as pessoas que, por algum motivo, perderam ou não conquistaram seus amores; muito embora não tenha tido nenhuma dificuldade na arte da sedução.

Vaidosa por natureza, jamais aparece em público deixando de usar seus belos adereços, e claro, sem o seu leque e seu lenço, que tão bem caracterizam esta cigana.

Toca castanholas e sua cor de vela é vermelha, tal como é retratada em suas vestes pelos mais diversos artistas.

A alegria é seu lema, e a beleza física é apenas mais um de seus doces encantos.

Autora : Valéria Fernandes





É protetora dos que sofrem de mal de AMOR, é a que acolhe e consola os abandonados.

É natural da Espanha, viajou por quase todos os países de idioma hispânico e inspirou vários AMORES.

É linda, vaidosa e grande dançarina de flamenco.

Amorosa e determinada, auxilia em casos de amores impossíveis (mal do qual também é vítima).

Resolve com suas magias casos de abandonos, tira rivais do caminho e e harmoniza casais.

Prefere os médiuns ciganos, mas entra na aura de alguns gadjos com outros nomes, conforme a linha.


SUA GRANDE MAGIA

É para unir casais, para que eles vivem intensamente o amor.

Ela faz esta magia.


Uma MAÇÃ VERMELHA
MEL
Três FITAS COR-DE-ROSA
Um QUARTZO ROSA.

Abre a maçã e retira o miolo, deixando uma pequena tampa.
Coloca dentro da maçã um papel com os nomes do casais.
(OBS: Não deseja para o outro o que você não quer para você, não prenda ninguem nas suas vontades. Esta magia é para quem ja tem um compromisso firme), escrito em forma de cruz, joga bastante mel e fecha amarrando a maçã com as fitas.depois coloca o quartzo rosa em cima e diz.


"Pelo poder da maçã, pela força etérica do cristal e do mel, que estas fitas astrais amarrem (os nomes das pessoas).
Serão tão doce, viverão juntos e amarão um ao outro.
Pelo poder da magia Cigana, como a Lua e a noite que nunca se separão, esta feito e concretizado este feitiço.
Em de devel (Deus)


Que assim seja


E assim se faça !


A maçã pode ser enterrada ao pé de uma árvore fruteiraou guardada em um vidro escondido, ( de preferência em suas roupas intímas)

Bar Lachi ( Boa Sorte )


Texto extraido do livro: Segredo de MAGIA CIGANA

Autora: Ramona Torres


Ponto Cantado da Cigana Carmen:

A estrela da Cigana Carmem
Que lá do oriente brilha sem parar
Esta estrela ela traz em seu peito
E toda a Umbanda ela vem clarear
Clareia estrela formosa
Da Cigana Carmem
Que é astro meu
E como uma estrela do oriente
Ilumina os caminhos que a cigana
Acolheu.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Zambra Gitana :

Zambra Gitana :
Apperley, Pintor : George Owen Wynne (1884-1960) - Zambra gitana - A Zambra, ou Flamenco árabe é, portanto, a fusão de movimentos de danças de povos nômades ancestrais.

Dança Flamenca!

Dança Flamenca!
Apperley, Pintor : George Owen Wynne (1884-1960) - Danza Flamenca

Velas Ciganas Coloridas!

Velas Ciganas Coloridas!
A Cultura cigana e seu contraste de cores,de suprema riqueza!

Sereia da Praia;

Sereia da Praia;
Sereias o Povo Mítico dos Oceanos,damas dos Lagos,Senhoras do Mar

Mulher Índia - Quadro Pintado pelo Artista Italiano Milo Manara.

Mulher Índia - Quadro Pintado pelo Artista Italiano Milo Manara.
Índia Xamã - Feiticeira de sua Tribo - Sacerdotisa das forças da natureza - Luz em Meio a Floresta !

Iemanjá

Iemanjá

♥♥♥Indiana♥♥♥

♥♥♥Indiana♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥

Iansã - Divindade Africana

Iansã - Divindade Africana

Cigana Esmeralda ;

Cigana Esmeralda ;
Bailando com o Pandeiro;

Amor do Egito !

Amor do Egito !

Velas de Umbanda;

Velas de Umbanda;

Fênix

Fênix
Senhora das Profecias !

Velas Coloridas entre as Frutas;

Velas Coloridas entre as Frutas;
♥ ♠ ♣ ♦

Quiromancia !

Quiromancia !
A Arte de ler as Mãos!

Sereia.

Sereia.